domingo, 16 de novembro de 2008

Arcano XVIII - A Lua – A Noite Escura da Alma

Por Persephone / Ana Marques

Esqueçam a razão.
Esqueçam o que aprenderam na escola.



A luz do caminho se apagou, as férias se acabaram, o movimento para dentro nos arcanos do tarô intensificou-se agora. Não há sombras a encarar nesse momento, porque tudo é sombra. Nós somos sombras caminhando a esmo.

Olhamos para trás e não existe um caminho para voltar.



E aí? Vai encarar?

Os caminhos da Lua no tarô

A nossa frente, um caminho obscuro. Somos os caminhantes olhando a estrada fracamente iluminada pelo luar.



Mas até lá, você ainda precisa caminhar na noite escura, iluminada apenas ligeiramente pelo luar. Você ouve os cães uivando sem saber se eles são ferozes, vê o lamaçal onde algo escuro e escorregadio se mexe.

Caminhar na noite é assustador, é uma prova de coragem, de determinação.

Se não houver um propósito firme e uma mente clara, todas as sombras serão inimigas a te intimidar e a te impedir de continuar. Estar sozinho na noite escura é o desafio supremo do tarô. Enfrentar o eterno medo do escuro.

Não ver direito. Confiar nos outros sentidos. Confiar nos seus outros sentidos, aprender a utilizar a intuição, confiar na sua capacidade... ou então enlouquecer. De medo, de susto, de pavor.

Essa é a Lua. A necessidade de mergulhar no mais profundo pânico, para emergir percebendo que a noite não é sua inimiga, que o caminho precisa ser caminhado em qualquer circunstância, que o perigo está mais na nossa imaginação do que na realidade.

Ela fala de confiança, em si mesma e na vida. Fala de persistência, de encarar inimigos ocultos ou declarados, de continuar em frente, mesmo que esteja amedrontada.

De não se deixar enlouquecer por medos que não são palpáveis. Manter a lucidez guiando-se pela intuição. Ver que claro e escuro são apenas perspectivas. Os perigos que houver no caminho, haverão de qualquer jeito. Apenas aprendemos a confiar na nossa visão e esquecemos que somos dotados DE CINCO SENTIDOS e não UM único.

A Lua fala do inconsciente, daquilo que não podemos controlar plenamente porque ele nos engloba e não nós a ele.

Quais são os seus medos? Na carta da Lua todos são exacerbados.

Se não enfrentar seus medos, não enfrentar os desafios no seu caminho, se não atravessar a noite escura da alma, quando todas nossas certezas são questionadas e nossa alma parece que vai perder a razão... não chegará aos portões dourados da compreensão máxima de quem você realmente é.

Quem não passa pela Lua, não chega ao próximo arcano: O SOL.

Esqueça a razão. Esqueça o que normalmente seria tua escolha...

O mundo da lua é um mundo à parte. De desafios e de incertezas.

Não se sabe se aquele montículo escuro é uma pedra ou um inseto. Volte-se para dentro. Medite longamente deixando que as idéias fluam a sua mente. Permita ao inconsciente que fale.

Se não fizer isso, não passará pela lua, pois ela também é a carta da magia... e na magia, a intenção é decisiva, concentração é fundamental, o foco é determinante.